domingo, 28 de junho de 2009

Minha Casa, Minha Vida: Vem aí o programa da ilusão, do desperdício e do atraso!


O Programa habitacional Minha Casa, Minha Vida visa diminuir o déficit habitacional, contudo, de contrapartida, é um paliativo social e, tendo em vista a Crise Econômica Mundial não é sensato a realização de tal Programa Habitacional, ao menos, não por hora.

Tendo em vista esta crise que nos assola, não é coerente a realização de um projeto de tal magnitude, pois, todos os nossos recursos devem, ou ao menos deveriam ser destinados às pequenas e micro-empresas, escolas técnicas, de fato, existe a verba orçamentária deste ano de se investir 100 Bilhões do BNDS nas indústrias deste país, todavia, tal dinheiro será rateado entre as maiores, as que têm mais ativos terão mais crédito, sobrando migalhas às micro e pequenas empresas. E, a meu ver a Petrobrás não precisa de nenhum empréstimo, tampouco 20% de tal montante, afinal, a Petrobrás é auto-suficiente, ao menos deveria ser, caso não servisse para financiar campanhas de Governadores e indicados à Presidência.

É lamentável a irresponsabilidade de nosso Governo Federal em meio a tal crise, não obstante aos gastos supérfluos, corrupções generalizadas no Executivo; Câmara, e Senado Federal; descendo conforme a hierarquia do poder, parecem que desconhecem uma coisa simples que todos sabem bem: " Em tempos de crise não se gasta com luxos e farras; poupa-se para se manter vivo e mais; se preparar para lucrar quando a tormenta passar!"

Não devemos aceitar a mera condição de sermos apenas país agrário, tudo bem que somos a "Fazenda do Mundo" mas por que não trabalharmos para sermos o melhor que pudermos ser?

O que teremos depois desta crise? Um pais agrário, com certeza!

Se não tomarmos providências enérgicas assim como não investirmos com responsabilidade o nosso capital, em plena Globalização, com mercado externo retomando os ares de crescimento pós-crise; com demasiada procura a bens de consumo em geral, com um mercado imenso para disputar não passaremos do que sempre formos: Um país agrário, ademais, perderemos para os Americanos, Chineses, e Europeus por estes terem responsabilidade nesta crise, e mais; estarem investindo de forma responsável no momento, sobretudo para oferecerem produtos de ponta a preços baixos, pois nesta crise todos exceto o Brasil têm trabalhado para diminuírem custos de produção, de fato, só assim se mantém no mercado, este que dominarão os que sobreviverem nesta crise e mais; dominarem a técnica: "Produtos industrializados de ponta por preços competitivos"... e só se faz isso com investimento na indústria; pesquisa; qualificação de mão de obra; e o mais importante em uma crise econômica: Os nossos recursos sendo bem investidos de forma responsável, tudo o que o nosso Governo Federal não está fazendo..

Trata-se, sem dúvida, de um programa habitacional este que sem dúvida há os poucos bem-intencionados assim como os muitos mau-intencionados como sempre; afim de se promoverem frente à população necessitada e pouco esclarecida, tal como os desvios de verbas que nestes projetos infelizmente mostram-se como práticas corriqueiras.

Eu teria uma boa sugestão para o nosso Governo Federal:

Deveriam usar estes recursos a fim de serem destinados a tais moradias para injetarem diretamente capital na nossa economia, disponibilizando empréstimos à mesma burocracia e taxa de juros à quem gera emprego e renda; Pequenos e micro-empresários; autônomos em geral, assim, sem dúvida alguma, impulsionaria a nossa economia, sobretudo em meio a tal crise, com emprego, com rotatividade de capital na economia, com procura por consumo teríamos a nossa moradia, disso caros amigos-leitores, possam ter a mais absoluta das certezas.

Assim, asseguraríamos não somente emprego e moradia, tal como nos prepararemos para um futuro progressista, para um Brasil-Potência, com força na indústria e comércio interno, ousando lutar no comércio externo com nossos produtos manufaturados como lideramos com nosso aço, alumínio e grãos, por que não?! assim nos livraríamos da mera condição de país agrário para embarcarmos de forma efetiva na Globalização e Modernidade

Essa estória de movimentar a economia à partir do setor de construção civil é falácia. Com tal programa quem ganhará mais serão os donos de empresas de materiais de construção, construtoras em geral, assim como empresários do ramo, além de todos os intermediários em todos estes tramites; geralmente políticos. Ademais, com tal programa a cotação de bens imóveis cairá, de forma sutil, mas cairá, os menos empreendedores acharão bom, os mais conscientes e bem-informados lembrarão bem da crise americana nascida na crise do setor imobiliário. Por sorte irônica o povo Brasileiro não é 'rico' pra ter tantos ativos imobiliários, tal como a nossa burocracia é diabólica quanto a empréstimos, contudo, o investidor do ramo imobiliário sentirá 'a lapada'; aluguéis caindo igualmente aos preços dos imóveis mediante à oferta repentina de imóveis no setor, a não ser os espertos que estão se mobilizando desde já pra arrancarem a sua fatia deste bolo, de forma sórdida, por sinal. (claro se cumprindo o promessa de Um Milhão de Casas, como se promete), como evidente; para o ramo imobiliário seria um favor isto ser apenas conversa fiada mesmo.


Entendo perfeitamente a dor de quem não tem uma casa própria, contudo, compreendo a raiz do problema de tal forma que me sinto na liberdade para afirmar: "Esta não é a solução, é paliativo social, é analgésico, servirá apenas brevemente!
Os poucos merecedores de facto contemplados com tais residências podem ter a certeza da casa, mas continuarão com a incerteza do bem básico elementar à cidadania; emprego, trabalho com renda satisfatória e estável, algo que com ele pagaria perfeitamente um aluguel ou compraria/construiria uma casa a seu gosto.
Só se proporcionaria isto destinando nossos recursos de forma incisiva, honesta, prática e consciente no nosso alicerce; os três setores da economia, ao invés de tentar tapar com uma peneira de palha o teto desta casa sem-teto chamada; 'Necessidade social do povo brasileiro."

Conheço gente aqui na minha cidade que tem negócio próprio, possui Hilux até um Pajero e mora de aluguel. Já pensou você recebendo um empréstimo de 30 mil pra investir na sua pequena fábrica ou abrindo o seu negócio próprio? queria isso ou uma casinha daquelas?
Por Você, por mim, e pelo bem de nosso país e economia mandei um e-mail para cada um dos Senadores da oposição do Governo antes de aprovarem tal projeto.
Pensem bem no exposto aqui por mim, meus concidadãos e amigos-leitores em geral.

Infelizmente, acabaram votando à favor, de certo, a crise ética no Senado foi preponderante em tal votação.

"Não somos uma nação em estado de indigência. Carecemos de boa administração, firme e íntegra, circunspeta e audaz." (Ruy Barbosa)


*Artigo elaborado tendo por base e-mails enviados por mim à oposição do Governo Lula antes da votação de tal projeto. Gentilmente respondidos pelo Excelentíssimo Senador Artur Virgílio (PSDB - AM) Lider do PSDB no Senado.










Nenhum comentário: